Home / Matérias de revistas / Auto Esporte / Surf, a versão descontraída do Passat

Surf, a versão descontraída do Passat

Revista Auto Esporte nº 165 – Agosto de 1978
Reportagem de Paulo Celso Facin

Passat Surf 1978 - Teste da Revista Auto Esporte

Enfrentar a concorrência do Corcel II L e atingir uma camada mais jovem do público consumidor. Estes são os objetivos que a Volkswagen do Brasil pretende atingir com o recente lançamento do Passat Surf.

A Volkswagen do Brasil apresentou recentemente no mercado uma nova versão do Passat, denominada Surf e decorada com estofamento de padronagem mais “jovem”, cercada por todo um apelo publicitário voltado para a juventude. Ao contrário, porém, do modelo 4M, lançado em quantidade limitada para comemorar os quatro milhões de veículos até então produzidos pela fábrica, a versão Surf é definitiva e veio com a missão de substituir o Passat L e competir diretamente com o Corcel II L.

Por esta razão, não se trata de um carro despido, do tipo dos “especiais”, mas sim uma linha de aspecto mais esportivo, muito capaz de agradar à faixa de mercado à qual se destina. Seu preço é de Cr$96.357,00 (posto fábrica e válido para o mês de junho) e o Passat simples (sem qualquer outra designação) custa um pouco mais barato.

Passat Surf 1978 - Revista Auto Esporte
Páginas iniciais do teste publicado pela revista Auto Esporte.

 

Notas do Passat Surf
Ruim

Insuficiente

✪✪

Aceitável

✪✪✪

Bom

✪✪✪✪

Ótimo

✪✪✪✪✪

  

Consumo – ✪✪✪✪

Bom como em quase todos os Passat, mereceu nota “4 estrelas”. Nossas verificações acusaram média geral de 10,4 km/l, considerando todos os tipos de utilização, submetidos a uma pontuação de média ponderada, que objetiva retratar fielmente a vida normal de um carro nas mãos de seu proprietário. A média de cidade foi de 9,3 km/l e a de estrada ficou em 12,9 km/l, com 14,5 km/l para 80 km/h constantes.

 

Desempenho – ✪✪✪✪

O Passat Surf pesou exatamente 890 quilos em ordem de marcha e sai de fábrica com seu motor de 1.471 cm³ de cilindrada. Seu desempenho é, portanto, similar ao de um Passat normal. Ele acelerou de zero a 80 km/h em 10,6 segundos e de zero a 100 em 15,1 (apenas para efeito de comparação, o TS nas mesmas arrancadas marca 9 e 14 segundos exatos). Recebe a nota boa porque supera os concorrentes da mesma categoria e consegue empatar com um Dodge Polara.

 

Motor – ✪✪✪✪

De concepção moderna, com torque e potência adequados, o motor do Passat garante respostas rápidas, boas saídas e retomadas de velocidade seguras em estradas. Silencioso e macio no funcionamento, desde que foi lançado não apresentou problemas críticos.

   

Freios – ✪✪✪✪✪

A nota máxima é aplicada com justiça. Dotado de discos na frente e tambores atrás, hidráulico nas quatro rodas e servo-assistido a vácuo, com duplo circuito em diagonal, seu funcionamento é perfeito nas mais variadas condições. Além disso, o raio de rolagem negativo da suspensão permite autocorreções da trajetória quando uma das rodas, por deficiência do piso, freia mais forte que a outra.

Passat Surf 1978

 

Direção – ✪✪✪✪

Rápida e precisa nas manobras de emergência, a direção do Passat (qualquer Passat) é também leve e macia. Sua ação mostra que uma tração dianteira de desenho e projeto modernos pode ser bem superior aos tradicionais modelos de tração traseira, especialmente nas tomadas de curvas diversas.

 

Suspensão – ✪✪✪✪

Com as modificações, ainda que de pequena monta, introduzidas na suspensão dianteira da linha Passat a partir de fevereiro último, os problemas de aspereza nos trancos e barulhos nos batentes foram quase eliminados, tornando o conjunto todo muito bom.

Todos os Passat hoje trazem diferentes características no batente superior dianteiro e leves alterações de medidas no tubo flexível que há em cima das molas helicoidais da frente. Com isso, foram bem reduzidos os ruídos e as vibrações do sistema, que agora convence e proporciona maior conforto interno.

 

Estabilidade – ✪✪✪✪✪

A segunda nota máxima do Passat Surf (como em todas as outras versões da linha) vi para a estabilidade. Com cerca de 70% do peso do carro colocado sobre o eixo dianteiro, tração dianteira moderna e eficiente, bom sistema de direção e mais o raio de rolagem negativo, o carro médio da Volkswagen demonstra ótima estabilidade em curvas de todos os tipos. Sua traseira é sempre neutra e obediente, não dando problemas; já a frente pode fugir quando levada ao limite de aderência em curvas de alta velocidade, mas uma leve aliviada na pressão do acelerador o traz de volta a trajetória original.

 

Transmissão – ✪✪✪✪

Lançado originalmente com câmbio do tipo flutuante, até 1976, o Passat deu motivos de reclamações a vários compradores, que não se adaptavam com o sistema e reclamavam principalmente das dificuldades para engatar a segunda e a ré. Desde aquele ano, porém, a Volkswagen do Brasil alterou o conjunto, trocando-o pelo câmbio convencional, e os problemas acabaram. Hoje o curso da alavanca é um pouco longo mas as posições das marchas são bem definidas e o engate é sempre preciso e correto.

 

Conforto – ✪✪✪✪

Entre os carros de sua categoria, o Passat é o que oferece mais espaço no banco traseiro. E o acesso a ele foi melhorado na linha 78, graças a modificações feitas no encosto dos bancos da frente, que agora se curvam mais quando basculados. Por outro lado, os cintos, que ficam presos por suas fivelas, não mais causam indesejáveis tropeções aos passageiros que entram ou saem do compartimento de trás. As faixas centrais de tecido, nos assentos e encostos dos bancos do Passat Surf, ajudam as costas a “respirar”, não provocando problemas de transpiração no calor.

Passat Surf 1978
As novidades do Passat Surf: retrovisor de plástico preto, rodas pintadas na cor grafite, tecido xadrez nos bancos e forrações laterais, além da identificação da versão por um adesivo vermelho refletivo.

    

Nível de ruído – ✪✪✪✪

A versão Surf, mesmo com menor utilização de material para vedação antiacústica, continua bem silenciosa. Em velocidades de estrada quase não se ouve o motor, o nível de trepidações é baixo, e tudo isso concorre para tornar as viagens mais agradáveis e seguras nos Passat, que merecem a nota de quatro estrelas para esse item.

 

Comandos – ✪✪✪✪

Centralizados na coluna de direção, podendo ser acionados sem soltar as mãos do volante, os comandos principais do Passat são bons e eficientes. As teclas e botões do painel estão bem acessíveis, não havendo proximidade entre comandos diferentes, fator que chega a causar confusões em outros carros.

 

Painel – ✪✪✪

Um pouco pobre, com mostrador central vazio. Considerando a linha mais esportiva do Surf, deveria sair de fábrica com um conta-giros igual ao do TS, o que seria de mais agrado da faixa de mercado específica a que a versão se destina. No lado direito do painel, sobre o porta-luvas, o logotipo Surf é aplicado em cor vermelha refletiva.

   

Porta-malas – ✪✪✪✪

Com bom volume interno e fácil acesso, poderia ter nota máxima se seu estepe não estivesse no vão do piso, sob a bagagem, o que é um sério inconveniente quando há um pneu furado em viagem.

O extintor, agora, está no habitáculo, junto aos pés do motorista, o que é melhor para a segurança, mas limita muito o espaço para descanso do pé esquerdo; poderia estar do lado direito, perto do passageiro da frente.

 

Acabamento – ✪✪✪

O interior é o de um Passat normal, acrescido das faixas centrais de tecido xadrez nos bancos e nos painéis laterais. A impressão geral é boa. Mas o preto fosco aplicado sobre frisos cromados começou a descascar logo aos mil quilômetros do carro de teste, o que depõe contra a qualidade do acabamento.

 

Segurança – ✪✪✪

Como no item anterior, a nota deste também caiu, e por uma razão muito válida. A versão Surf continua com quase todos os itens de segurança passiva e ativa dos demais modelos. Porém, sai de fábrica com uma mudança simplesmente inaceitável, pelo que representa de involução: está com cintos apenas torácicos na frente, em lugar dos ótimos modelos de três pontos.

 

Estilo – ✪✪✪✪

Bom o estilo básico, com boas áreas envidraçadas e muita visibilidade perimetral. Também é agradável o acabamento em preto fosco nos frisos e pára-choques, combinando com a linha mais jovem e esportiva do Surf.

 

Conclusões

Tirando a falha inadmissível da mudança no cinto de segurança, melhorando o acabamento das partes pintadas de preto fosco e colocando um conta-giros no painel, o Passat Surf tem tudo para atingir seu público específico. Aliás, cabe lembrar que o volante do TS combinaria bem melhor com seu jeito mais agressivo. Como imagem de carro jovem, a versão funciona bem. Prova disso é que o mercado parece estar reagindo de modo favorável ao lançamento. A suspensão, agora, agrada, seu desempenho e seu consumo são perfeitamente adequados à categoria.

   

Desempenho
Acelerações de arrancada Marchas utilizadas Tempo em segundos
0 a 80 km/h 1ª e 2ª 10,6
0 a 100 km/h 1ª, 2ª e 3ª 15,1
0 a 400 metros 1ª, 2ª, 3ª e 4ª 20,0
0 a 1000 metros 1ª, 2ª, 3ª e 4ª 37,9
Acelerações de retomada Marchas utilizadas Tempo em segundos
40 a 60 km/h 6,2
40 a 80 km/h 9,4
60 a 80 km/h 5,6
60 a 80 km/h 7,6
80 a 100 km/h 6,2
80 a 100 km/h 8,9
Desacelerações Tempo em segundos Distância em metros
60 a 0 km/h 2,0 15,5
80 a 0 km/h 3,3 30,3
100 a 0 km/h 5,7 46,6
Velocidade Máxima real (km/h) 146

   

Consumo
Condições de uso Peso para média ponderada Consumo (km/l)
Centro urbano 3 8,6
Bairros periféricos 2 9,4
Vias expressas 2 10,3
Estrada movimentada 1 12,4
Estrada a 100 km/h 1 11,9
Estrada a 80 km/h 1 14,5
Média de cidade 7 9,3
Média de estrada 3 12,9
Média geral padrão Auto Esporte 10 10,4

 

3 comments

  1. Sabe-se de algum sobrevivente dessa versão? Lindo interior, lembra a proposta do Dart SE…

Deixe uma resposta