Home / Matérias de revistas / Quatro Rodas / Passat GTS 1.8: conforto e respostas rápidas

Passat GTS 1.8: conforto e respostas rápidas

Teste do Passat GTS 1.8 1984
Revista Quatro Rodas nº 290 – Setembro de 1984
Reportagem de Claudio Carsughi
Fotos de Claudio Larangeira

 

Passat GTS 1.8 - Quatro Rodas nº 290, setembro de 1984

Tudo que o antigo GTS tinha de diferente em relação aos outros carros da linha Passat era um console e três mostradores. Um verdadeiro esportivo, entretanto, deve ter mais. A resposta da Volkswagen: o motor 1.8 do Santana. E mais conforto.

A Volkswagen ataca novamente na área dos esportivos.  Poucos meses depois de lançar o Gol GT 1.8, apresenta o renovado Passat GTS 1.8. Num e noutro, o mesmo motor 1.8 do Santana, capaz de sensibilizar os amantes da velocidade. O Passat, além disso, pode agradar aqueles que consideram o Gol GT muito semelhante ao Gol standard em aspecto global, interna e externamente.

Breve, um câmbio de 5 marchas. Para melhorar o consumo.

Quando lançou a primeira versão esportiva do Passat, o TS, o resultado de vendas foi rápido e positivo. Seu motor de carburador duplo, 1.6, levava óbvia vantagem sobre os outros modelos Passat, àquela época equipados com 1.5.

Tempos depois, o motor 1.6 acabou estendido a toda a linha. Assim, o único ponto de exclusividade do TS – mais tarde denominado GTS – resumiu-se a um console junto à alavanca de câmbio, exibindo três mostradores suplementares que completavam o painel. Para resolver o impasse – um carro esportivo, por definição, deve ser mais possante que seus equivalentes – a Volkswagen instalou, então, o motor 1.8, garantindo os necessários cavalos a mais.

O carro testado por Quatro Rodas tem câmbio de quatro marchas. Breve, estará disponível um modelo com câmbio de cinco marchas, o que não deverá alterar seu desempenho, conferindo-lhe, porém, maior economia em uso rodoviário. Essa impressão deriva de testes com o Gol GT 1.8, de 4 e 5 marchas, realizados em abril e junho passados.

   

Seguro, agradável

Ao se instalar no Passat GTS 1.8, o motorista fica logo à vontade. O bom banco Recaro, anatômico e contando com regulagem de altura, permite encontrar a posição ideal – tanto para dirigir na cidade quanto para uma longa viagem. Dessa forma, pode-se exigir o carro até seu limite, mantendo sempre uma sensação de segurança. Segurança que é reforçada, por outro lado, pelo emprego de rodas de liga leve, tala 6, testadas uma a uma em equipamento de raio X. Da mesma maneira, a estabilidade se reforça com os bons pneus radiais de aço, da série 60.

O motor responde no ato, fortalecendo a impressão de desempenho superior, obviamente à altura das necessidades e dos limites que nossas esburacadas estradas permitem. E, quando se solicita o sistema de freios, mesmo em emergência, a trajetória se mantém e a imobilização ocorre em espaços reduzidos.

Tais detalhes tornam o Passat GTS 1.8 bastante agradável. E não apenas para o motorista.: também o passageiro do lado e outros dois bem acomodados atrás (há um descansa-braço central escamoteável) viajam com conforto. A ventilação interna é boa, o aquecimento eficiente, o nível de ruído normal – para a categoria do veículo. A rigor, apenas os passageiros que viajam no banco traseiro têm sua visibilidade geral prejudicada pelos apoios de cabeça dos assentos da frente. Se forem três passageiros atrás, o conforto logicamente fica comprometido.

Passat GTS 1.8 - Quatro Rodas nº 290, setembro de 1984
Mais segurança e estabilidade no Passat GTS 1.8: rodas de liga leve e pneus radiais de aço.

  

O bom desempenho

Nem há necessidade de cronômetro para aferir o melhor desempenho deste GTS com motor 1.8. Em nossa pista de testes, a velocidade máxima alcançou 163 km/h. Aceleração também nervosa: pouco mais de 13 segundos para chegar a 100 km/h. Até mesmo motoristas que não se importam muito com desempenho sentirão um carro ágil que permite sair rapidamente de qualquer situação de emergência no trânsito.

Motor do Passat GTS 1.8 - Quatro Rodas nº 290, setembro de 1984
O motor 1.8 do Santana, no novo Passat: mais agilidade no trânsito.

Este último desempenho, em todo caso, não traz consigo uma elevação anormal de consumo, mesmo considerando o peso maior do GTS – quase uma tonelada, enquanto os outros Passat mal ultrapassam os 900 kg. Em uso urbano, fizemos mais de 7 km/l; em estrada, oscilamos entre 10 e 11 km/l. Claro que as medidas irão se alterar sempre que o motor for exigido a fundo. À velocidade real de 110/120 km/h, em estrada, gasta-se um litro de álcool a cada sete quilômetros rodados. Uma ocorrência natural em qualquer esportivo que se preze.

   

Resultados – Passat GTS 1.8 1984

Item Avaliação Nota
Desempenho Máxima: 162,896 km/h. De 0 a 100 km/h: em 13,39 s. Mil metros: 34,78 s. 7
Consumo Na cidade: 7,41 km/l. Em estrada, a 80 km/h reais: de 10,25 km/l (carregado) a 10,79 km/l (vazio). 5
Motor Fornece potência de forma progressiva. Aquece rápido, mesmo no inverno. Suporta elevadas rotações. 7
Câmbio Marchas corretamente escalonadas, de engates fáceis. Faz falta uma quinta. 6
Freios Mantém trajetória correta em freadas repentinas, necessitando de pouco espaço. Pronta desaceleração. 7
Direção Não transmite vibrações, não é pesada em manobras nem leve em alta velocidade. Volante de bom diâmetro. 7
Estabilidade Reações definidas. Neutro, saindo um pouco de frente no limite da aderência – fácil corrigir. 7
Suspensão Firme, sem comprometer o conforto. Não transmite ruído em piso irregular. Aliás, foi recalibrada. 7
Estilo É hora de reformular, pois tem mais de 10 anos e as modificações até aqui foram insignificantes. 5
Acabamento Externamente: bom, até em junções da carroceria. Internamente: melhora nas partes de plástico. 7
Conforto Ótimo para quatro pessoas. Boa renovação de ar. Má visibilidade para quem viaja atrás. 7
Nível de ruído Aceitável, a não ser em rotações excepcionalmente elevadas. Mas é uma versão esportiva. 7
Posição do motorista Perfeita: é regulável até na altura. Todos os comandos estão bem posicionados. 8
Instrumentos Falta manômetro de óleo. E o conjunto requer reformulação para melhorar sua visibilidade. 6
Porta-malas Bom para bagagem de quatro pessoas. Revestimento adequado. Estepe na horizontal, sob o assoalho. 4

    

Velocidade máxima na pista (km/h reais)
Média de 4 passagens 162,896
Melhor passagem 165,899

 

Velocidade máxima nas marchas
Marcha Velocidade (km/h)
46
88
139
165

 

Aceleração
Variação de velocidade Tempo (segundos) Marchas usadas
0 – 40 km/h 2,95
0 – 60 km/h 5,59 1ª/2ª
0 – 80 km/h 8,45 1ª/2ª
0 – 100 km/h 13,39 1ª/2ª/3ª
0 – 120 km/h 19,48 1ª/2ª/3ª
0 – 140 km/h 30,50 1ª/2ª/3ª/4ª
0 – 500 m 21,54
0 – 1000 m 34,78

 

Retomada de velocidade
Variação de velocidade Tempo (segundos) Marcha usada
40 – 60 km/h 7,68
40 – 80 km/h 14,27
40 – 100 km/h 21,25
40 – 120 km/h 29,63
40 – 140 km/h 39,70
40 – 1000 m 38,55

 

Consumo a velocidade constante
Velocidade real (km/h) Consumo (km/l) Marcha usada
40 12,63
60 12,26
80 10,18
100 8,45
120 6,64
40 11,37
Consumo médio
Na cidade 7,41
Na estrada, a 80km/h, carregado 10,25
Na estrada, a 80km/h, vazio 10,79

 

Diâmetro de giro
Esquerda Direita
10,70 m 11,10 m

 

Espaço de frenagem
Velocidade (km/h) Distância (metros)
40 8,80
60 18,10
80 32,00
100 49,50
120 69,30
Freio de estacionamento
60 45,10

   

Ficha técnica – Passat GTS 1.8 1984

Motor – Dianteiro, longitudinal, de quatro cilindros em linha, refrigerado a água. Comando de válvulas e válvulas de admissão e escapamento no cabeçote. Alimentação por um carburador de corpo duplo e fluxo descendente; a álcool.
Diâmetro e curso – 81,0 x 86,4 mm
Cilindrada total – 1.781 cm³
Taxa de compressão – 12:1
Potência máxima – 92,4 cv (68 kW) ABNT a 5.000 rpm
Torque máximo – 15,2 mkgf (149 Nm) ABNT a 2.600 rpm
Relações de marcha – 1ª) 3,455:1; 2ª) 1,789:1; 3ª) 1,133:1; 4ª) 0,829:1; diferencial, 4,111:1. Tração dianteira.
Carroceria – Sedã, duas portas, cinco lugares, estrutura monobloco
Suspensão dianteira – Independente, McPherson, com braços inferiores triangulares, molas helicoidais, amortecedores hidráulicos telescópicos e barra estabilizadora.
Suspensão traseira – Semi-independente, com eixo em “U” trabalhando em torção, braços tensores longitudinais, barra diagonal Panhard, barra estabilizadora, molas helicoidais e amortecedores hidráulicos telescópicos.
Freios – A disco nas rodas dianteiras e a tambor nas rodas traseiras, com servo. Freio de estacionamento atuando nas rodas traseiras.
Direção – Mecânica, de pinhão e cremalheira.
Dimensões externas – Comprimento, 429 cm; largura, 160,0 cm; altura, 135,5 cm; distância entre eixos, 247,0 cm; bitola dianteira, 134,0 cm; bitola traseira, 134,2 cm; altura mínima do solo, 14,0 cm.
Rodas – Aro 14 x tala 6 polegadas, de liga leve.
Pneus – 185/60 HR 14
Capacidade do tanque – 60 litros
Peso do carro testado – 980 kg
FabricanteVolkswagen do Brasil S.A., via Anchieta, km 23,5, CEP 09700, São Bernardo do Campo, SP. Telex: (011) 44 5193.

Deixe uma resposta