Home / Artigos / Artigos em geral / Passat TS: uma nova opção do mercado brasileiro

Passat TS: uma nova opção do mercado brasileiro

O Passat TS foi lançado na linha 1976, ampliando o leque de opções ao consumidor interessado em adquirir um Passat. A Volkswagen mantinha o seu cronograma de apresentar uma versão esportiva, após lançar apenas os modelos com duas portas em 1974 e posteriormente a versão de 4 portas para a linha 1975. Alguns meses depois, a gama de opções ainda passaria a contar com os modelos com a tampa da mala grande, que passaram a ser conhecidos como 3 portas.

No dia 4 de janeiro de 1976, o jornal Diário do Paraná publicou as primeiras impressões sobre a versão esportiva do Passat. Com o mesmo título deste artigo, o texto detalhava bem as diferenças entre o Passat TS e os outros modelos disponíveis da linha Passat. Alguns pequenos equívocos foram cometidos no texto, como dar a entender que o conta-giros estava instalado no console e não no lugar do relógio do painel. Este engano foi cometido, possivelmente, pelo jornal ter tido acesso somente a fotos de divulgação e ao press release da Volkswagen para escrever a matéria. Ainda assim, é um material certamente de grande interesse aos proprietários do Passat. Por isso, transcrevemos a matéria abaixo, na íntegra:

Passat TS 1976
Passat TS 1976. Foto: divulgação VW

       

O mercado brasileiro está ganhando a versão TS do VW Passat, lançamento com o qual a Volkswagen do Brasil objetiva atender aquela faixa de consumidores exclusivistas que vinham exigindo um carro capaz de ‘diferenciar-se’ por suas avançadas características de construção, desempenho, segurança, conforto e beleza de estilo.

Motor de 1600cm³, 96cv (SAE) de potência, carburador de corpo duplo, grade dianteira de faróis duplos, volante esportivo, console completo (com relógio de horas, voltímetro, medidor de pressão de óleo do motor e conta-giros), faixa preta que acompanha horizontalmente a linha de cintura da carroçaria, pára-choques com frisos protetores de borracha – estes alguns detalhes adicionais utilizados pela fábrica para individualizar o TS em relação às demais versões L e LS do Passat.

O aumento da cilindrada e da potência do motor e a combinação de outros recursos técnicos de projetos e construção que fazem do Passat o mais moderno carro nacional, assegurou ao TS um desempenho bem superior aos GT’s existentes no mercado, mantendo ao mesmo tempo a excelente média de 12,3 km/l de consumo. Em função de sua favorável relação peso-potência de apenas 9,0 kg/cv, ele é capaz de acelerar de 0 a 100 km/h em apenas 13,2 segundos e atingir a velocidade máxima de 160 km horários.

Em contra-partida, o Passat TS também é o carro em sua faixa que exige menor espaço de frenagem para parar: a 80km por hora volta a imobilidade, sem se desviar da trajetória seguida, em apenas 29,5 metros. A eficiência dos freios e a estabilidade são garantidas pelo servo-freio, além do duplo circuito de freios de ação em diagonal e pelo revolucionário sistema de raio negativo de rolagem, ou direção auto-estabilizadora que aumenta consideravelmente a estabilidade direcional.

 

 

O mesmo Passat

Para equipar a versão TS, os técnicos da Divisão de Engenharia da Volkswagen do Brasil elevaram em 100 cm³ a cilindrada do motor básico do Passat 1500 cm³. Isso foi obtido com o aumento das dimensões dos cilindros e anéis, mantendo-se inalteráveis as demais características do compacto motor Passat, que tem quatro cilindros em linha, comando de válvulas na cabeça, árvore de manivelas apoiada em cinco mancais e outras soluções técnicas que lhe conferem resistência, facilidade de manutenção, baixo consumo e um funcionamento silencioso.

Na busca de uma perfeita adequação do motor com a cilindrada às exigências  de desempenho da nova versão TS, a fábrica recorreu ao carburador de corpo duplo (dois estágios), de fluxo descendente, o que por consequência exigiu o uso em complementação, de outros componentes como o coletor de admissão com dupla entrada e câmara intermediária – isso para melhor direcionamento da mistura ar/combustível -, o coletor de escape com entrada dupla, o corpo do filtro de ar com entrada oval, para assegurar perfeita alimentação de ar ao carburador, e o tubo de escape duplo até próximo do silencioso.

Com essas alterações e a elevação da taxa de compressão para 7,5:1, o motor VW Passat teve sua potência aumentada até 96 cv (SAE) a 6.100 rotações por minuto e seu momento de força passou para 13,2 mkgf (SAE) a 3.600 rpm, consumindo apenas 8,1 litros de combustível para cada 100 km rodados. Para aproveitar a alta rotação do motor e o elevado torque não foram necessárias maiores alterações na caixa de transmissão pois as marchas já tem o escalonamento ideal. Apenas se fez uso de uma quarta marcha menos desmultiplicada, cuja razão de transmissão para o TS é de 1:0,94 enquanto nas demais versões do Passat é 1:0,97.

Além dessas alterações, introduzidas por força das características do carro, o VW Passat TS tem tração dianteira, com semi-eixos oscilantes e juntas homocinéticas, coluna de direção com dispositivo de segurança, freios (a disco nas rodas dianteiras e a tambor nas traseiras) com circuito duplo em diagonal, equipamento servo-freio, rodas de aço estampado (aro 5Jx13), pneus radiais 175/70 SR 13 (também o 175/70 HR 13) e sistema elétrico utilizando bateria de 12v e 42 Ampéres. A suspensão dianteira é independente, tipo Mc Pherson, com braços triangulares, colluna de suspensão com molas helicoidais e amortecedores telescópicos de dupla ação.

Passat TS 1976
O interior do novo Passat TS: volante esportivo e console com relógio de horas, voltímetro e indicador da pressão de óleo. Foto: divulgação VW

O luxo interior

Com o TS, a Volkswagen do Brasil proporciona a continuidade de oferta do modelo Passat através de versões diferenciadas por detalhes de acabamento. Assim, a versão L é equipada com o conjunto conveniência, que inclui: o relógio de horas, acendedor de cigarros, bancos dianteiros reclináveis, revestimento dos bancos com faixa central em courvin listrado ou tecido liso tipo veludo, friso cromado no revestimento das portas e instrumentos do painel com aro cromado.

O Passat LS, identificado externamente pelo logotipo fixado  na traseira, tem o acabamento combinando obrigatoriamente com o conjunto conveniência e mais: temporizador, esguicho do limpador do pára-brisa acionado por bomba elétrica, tapete de nylon no revestimento do assoalho, rádio de 3 faixas, espelho retrovisor anti-ofuscante, odômetro parcial, capa de borracha na empunhadura do freio de estacionamento e tampa de gasolina com chave, caracterizando o conjunto luxo.

Finalmente, o TS combina obrigatoriamente o conjunto luxo com uma série de detalhes exclusivos que individualizam o seu acabamento: motor de 1.588 cm³, carburador de corpo duplo, faróis duplos, pára-choques com friso de borracha, faixas laterais, pneus e aros especiais – além do volante esportivo, com as letras “TS” no botão da buzina; console contendo bagagito, relógio de horas, conta-giros, voltímetro e indicador da pressão do óleo; e, coifa protetora da alavanca de câmbio em borracha e mais alta, caracterizando o conjunto desempenho.

Para todas as versões do Passat a fábrica oferece alguns equipamentos especiais como aquecimento, ar-condicionado, pintura metálica e bancos dianteiros com apoio de cabeça incorporado.

7 comments

  1. Console central estranho, não?

  2. Em todos os anos (76, 77 e 78) os TS saíram com o emblema na tampa traseira “Passat TS” ou em algum ano saíram apenas com o emblema “Passat”?

  3. Pessoal, tenho um Passat ano e modelo 1980, alguém saberia dizer com certeza se a lanterna traseira deste modelo é a Vermelha Rubi ou tricolor?

  4. Boa noite!
    Gostaria de saber quando e como posso participar de encontros do Clube do Passat.

Deixe uma resposta