Home / O Passat / Modelos especiais / Passat Dacon

Passat Dacon

As mais famosas transformações realizadas no Passat eram feitas em São Paulo, pela Dacon. Importante concessionária VW, que já não existe mais, desde 1974 ela já oferecia um pacote de equipamentos para os consumidores que desejassem personalizar seu Passat. Entre os itens oferecidos para o Passat Dacon, como ele passou a ser chamado, estavam os sobre-aros cromados, volante Motolita, teto solar de lona, vidros elétricos e conta-giros (item que apenas em 1975 seria oferecido como acessório pela VW), entre outros.

Na parte mecânica, era possível equipar o Passat com dois carburadores Weber 40, comando 290º e demais alterações que aumentavam a potência do motor original. Outros itens que marcaram posteriormente os modelos Dacon eram as lanternas “modelo exportação” (com a área da seta em laranja, ao contrário do vermelho da época) e os frisos dos vidros e da dianteira do TS pintados de preto.

Passat Dacon - LS 1974 modificado pela empresa
Passat LS 1974 equipado pela Dacon

Além de oferecer equipamentos a carros “normais”, a Dacon também projetou diversos projetos de alteração de carroceria utilizando o Passat como base. Em uma época de importações proibidas, a empresa oferecia opções atrativas a quem procurava um carro diferente. Os modelos podiam ser equipados conforme o gosto do comprador e o preço cobrado por essa exclusividade poderia alcançar o dobro do valor de um Passat 0km. Possuir um Passat Dacon era um símbolo de status.

  

E quem buscava exclusividade certamente poderia encontrá-la no modelo 180 S. Sua característica marcante eram as alterações na parte traseira da carroceria, que possuia um curioso desenho onde o grande vidro traseiro formava uma bolha.

Passat Dacon 180S
Passat Dacon 180S

Nenhum Passat da empresa ficou mais conhecido do que o Dacon 180 D. Conhecido nos anos 80 como o “carro dos jogadores de futebol”, o 180 D possuia carroceria em formato 3 volumes, com uma traseira que lembrava a dos Del Rey. As lanternas de Brasília e pára-choques pintados na cor da carroceria conferiam mais um toque peculiar ao estilo do carro. Foi o modelo mais vendido entre os Passat Dacon e ainda hoje é possível encontrar alguns rodando.

Semelhante ao 180 D, houve também uma versão com teto targa identificada como 180 T.

Passat Dacon 180D e 180S
Passat Dacon 180D (esq.) e 180T (dir.)

Durante os anos 70, a Dacon projetou outras alterações na carroceria do Passat. Uma das mais interessantes tentativas dentre os modelos fora-de-série com base no Passat foi a perua Brake, em 1978, que visava ocupar um nicho do mercado brasileiro onde o Passat nunca participou. Utilizando como base a versão LS, o resultado pode ser visto nas fotos. O Passat Brake foi projeto com versões de duas e quatro portas, que agradavam em luxo e espaço.

   

A versão quatro portas contava com frente de quatro faróis redondos, enquanto a duas portas possuía o mesmo conjunto óptico do Dodge Polara, o que dava um aspecto estranho ao carro.  Na versão quatro portas, atrás dos bancos dianteiros, o teto sofria uma elevação de 6 cm, numa espécie de teto panorâmico. As lanternas traseiras eram as originais do Passat em ambas as versões. O motor poderia ser o original, 1.5 ou 1.6, ou a uma versão 1.8 oferecida pela empresa.

As peruas tinham uma boa lista de opcionais e podiam contar com: ar condicionado, pára-choques envolventes, vidro traseiro térmico, pára-brisa degradê laminado, vidros elétricos, bancos e acabamento em couro. O preço do carro original, transformação e eventuais opcionais faziam da Perua Passat um carro caro, para poucos compradores.

Passat Dacon Break
Passat Dacon Break

Outra raridade, com apenas 2 unidades produzidas, foi o Passat Limousine. Produzido a partir de modelos 4 portas, o Passat Limousine tinha a distância entre-eixos alongada em 25cm, proporcionando aos passageiros do banco traseiro maior conforto e um acesso facilitado, já que as portas traseiras também sofreram modificações para este fim. Para o motorista, esta versão oferecia painel e console utilizados no TS, além de pára-brisa degradê.

Para aumentar o conforto não poderia faltar o ar-condicionado e as luzes de cortesia no banco traseiro. A Dacon planejava oferecer o Passat Limousine com a mecânica escolhida pelo comprador, que poderia tanto ser a versão 1.5, passando pelas versões intermediárias até chegar ao motor 2.0 especialmente preparado pela empresa.

Passat Dacon Limousine
Passat Dacon Limousine

A concessionária Dacon fechou as portas nos anos 90, após fazer história não só com suas transformações com base no Passat, mas também com modelos exclusivos (como o Dacon 828 e o Nick), diversos outros modelos VW transformados ou equipados conforme o bom gosto da empresa e pela lendária equipe de competições nos anos 60 com seus Karmann-Ghia equipados com motores Porsche pilotados por ases como José Carlos Pace, Emerson e Wilson Fittipaldi. E por isso, ainda tem uma legião de fãs saudosos pelos velhos tempos.

2 comments

  1. Existu, e eu vi em Amparo SP, um Passat DACOM COM FRENTE DO DODGE POLARA, Farol retangular e depois a VW lança o Passat 1980 assim

    • Foi famosa a utilização da dianteira do Polara neste perua Dacon que mostramos aqui na página. Possivelmente uma tentativa de fazer com que o carro ficasse parecido com o facelift que o Audi 80 recebeu em 1976 e que a VW acabou usando aqui a partir da linha 1979.

Deixe uma resposta