Home / Matérias de revistas / Auto Esporte / O discreto charme do Passat 180-D

O discreto charme do Passat 180-D

Revista Auto Esporte nº 183 – Janeiro de 1980
Fotos de Saulo Mazzoni

Revista Auto Esporte: Passat 180-D Dacon

Unindo sofisticação, conforto e discrição, o novo modelo Passat Dacon, o 180-D, tem tudo para fazer sucesso em uma faixa de mercado pouco explorada.

Há algum tempo, o clima de expectativa acerca da liberação completa das importações dos produtos considerados supérfluos começou a crescer, na mesma proporção dos preços que a indústria automobilística nacional se obriga a majorar.

Embora não exista pro parte dos meios governamentais qualquer sinal concreto de que os automóveis seriam incluídos nesta liberação, a perspectiva de se ver novamente os carrões importados, trafegando em território nacional, já provoca entre os interessados uma movimentação incomum.

Afinal, possuir um carro estrangeiro, seja qual for sua taxação, não vai deixar de significar um bom investimento nestes tempos de crise, onde a maior preocupação tem sido, ao invés de ganhar dinheiro, saber não perdê-lo. Mas, enquanto o prazer de guiar um Mercedes ou BMW 0 km não passa do plano onírico, as opções restantes em termos de realidade imediata são muito poucas. Ciente deste fato, a Dacon, revendedor VW de São Paulo, que se notabilizou pelas alterações esportivas nos Passat, resolveu criar um novo modelo que, altamente personalizado, surge como uma opção das mais viáveis para quem deseja um veículo dentro destes moldes. Seguindo a atual tendência européia dos carros com carrocerias de três volumes, o Passat 180-D completa a linha Dacon, composta até aqui pelos 180-S, o Targa e o Passat Break, que nada mais é do que uma perua Passat, nos moldes da atual Corcel Belina.

Para Carol Figueiredo, ex-piloto e um dos diretores da empresa, o 180-D vai manter suas características exclusivistas: “Até agora nossos carros apresentavam principalmente uma conotação esportiva. Sua produção independia das vendas e o sucesso foi absoluto. Com o 180-D, resolvemos iniciar uma nova fase, de conquista de um público mais tradicional e preocupado com conforto e discrição. No projeto, tentamos dar ao novo design da traseira alguma semelhança com os novos carros que têm feito muito sucesso na Europa.”

 

As modificações

Para que o 180-D mantenha sempre a indisfarçável característica elitista planejada por seus criadores, nenhuma unidade será produzida sem que anteriormente haja uma encomenda. Ou seja, o cliente gosta do carro em exposição, encomenda um igual e, depois deste trâmite, a unidade passa a ser fabricada.

Existe ainda outro aspecto importante. Cada carro será equipado de acordo com o pedido do cliente que, caso não queira qualquer equipamento, receberá o carro com somente as alterações de carroceria. Claro está que o toque de personalização depende, em grande parte, do bom gosto dos equipamentos instalados.

Com um acabamento quase perfeito e que somente a experiência de inúmeras transformações pode garantir, o serviço de funilaria custa Cr$ 125 mil. Nesse serviço, que parte de um Passat de série, estão incluídos a seccionação da parte traseira do teto, a instalação do vidro traseiro e o acabamento do porta-malas. Essas modificações não implicam na diminuição da capacidade do porta-malas, que mantém as mesmas proporções. Em compensação, o acesso a este depósito fica levemente prejudicado.

O 180-D utilizado por Auto Esporte nestas impressões ao dirigir, com exclusividade, era a primeira unidade produzida e equipada com o que havia de melhor em termos de opcionais. Assim, se algum cliente desejar um carro idêntico, pode estar preparado para gastar, incluindo o veículo original, cerca de Cr$ 500 mil.

Revista Auto Esporte - Passat 180-D Dacon
Coluna traseira personaliza totalmente o modelo. Rodas e pneus importados (esq.); Spoiler com faróis de milha dão o toque esportivo (dir.).

   

Embora o motor mantivesse suas características básicas – 1.500 cm³ do Passat LS -, o carro testado era equipado com rodas de liga leve idênticas às do Scirocco e pneus Michelin radiais, franceses. Externamente, foram instaladas na traseira lanternas de Brasília – uma solução barata e que surtiu excelente efeito visual -, e na dianteira, a grade original foi mantida, mas em lugar dos faróis retangulares, foram instalados faróis duplos redondos, também originais do Scirocco alemão. A dianteira também recebeu o spoiler dos TS nacionais, além da instalação de faróis de milha.

 

Conforto

Mas, no conforto e gosto do interior e que o 180-D deixa claro ser um carro bastante exclusivo. Vidros rayban com antena embutida no pára-brisa, vidros elétricos, volante Motolita inglês, teto solar de metal importado da Holanda e o toca-fitas original dos carros produzidos na Alemanha, são apenas alguns fatores. Totalmente forrado com grosso carpete – inclusive o porta-malas -, ainda possui ar condicionado, buzina de Mercedes, cintos de segurança importados e, como ponto alto, um conjunto de bancos de couro, envolventes, com quatro encostos de cabeça.

Revista Auto Esporte - Passat 180-D Dacon
Volante Motolita: bonito e de boa pega.

  

Na transformação, ficou o aspecto positivo de, apesar de ser um carro de duas portas, o espaço para os passageiros que viajam no banco de trás ter sido alterado e o índice de conforto permanecer o mesmo.

Completando a personalização, o 180-D pode ser encomendado nas cores exclusivas utilizadas nos outros carros da linha Dacon.

 

Desempenho

Por tratar-se de um modelo sem qualquer alteração na parte mecânica ou de suspensão, seu desempenho e dirigibilidade nada difere do Passat LS. Nem mesmo a alteração de design da carroceria provocou qualquer queda de rendimento, tanto na velocidade e no torque, quanto no consumo, preocupação maior, que permanece aceitável, até mesmo para o atual custo da gasolina.

No caso do modelo testado, a única falha foi na escolha dos pneus de medidas 185/70 13. Como o espaço interior dos pára-lamas permanece o mesmo, em estradas onduladas ou quando carrega mais peso, as raspadas de pneu na lataria acontecem regularmente. Mas, este é um problema mínimo, que pneus 175/70 13 resolveriam, mesmo utilizando-se as rodas com talas de 6 polegadas.

  

Conclusões

Acostumados aos esportivos Dacon, a sobriedade do 180-D chega a ser surpreendente. Em qualquer lugar por onde se passe, os olhares de admiração e as perguntas a respeito se sucedem, sempre positivamente. E, mais importante, o objetivo dos fabricantes parece que vai ser alcançado: uma faixa de público que raramente prestava atenção aos outros modelos Dacon namora o 180-D com indisfarçável interesse.

Enfim, mantendo as características originais do Passat LS, consegue ser um carro de luxo, sóbrio e confortável, com todas as facilidades de manutenção de um carro de série. E, principalmente, o consumo permanece quase irrisório se comparado aos demais carros que disputam esta faixa, pouco explorada, do mercado nacional.

 

Galeria de fotos

   

Ficha técnica
Carroceria – Carroceria de chapa de aço estampado, tipo sedã, duas portas, cinco lugares. Estrutura diferenciada monobloco.
Motor – Dianteiro, longitudinal, quatro cilindros em linha, bloco em ferro fundido, cabeçote em liga de alumínio, árvore de comando de válvulas no cabeçote acionada por correia dentada; alimentação por carburador de corpo simples e aspiração descendente; refrigeração a água com ventilador elétrico. Diâmetro e curso dos pistões: 76,5 x 80,0 mm; cilindrada total: 1.471 cm³; taxa de compressão: 7,4:1; potência: 78 CV/56,94 kW (SAE) a 6.100 rpm; torque: 11,5 mkgf/112,7 Nm (SAE) a 3.600 rpm; gasolina comum.
Transmissão – Tração dianteira, embreagem monodisco a seco de acionamento mecânico; caixa de câmbio mecânica de quatro marchas sincronizadas à frente e uma à ré, com alavanca de câmbio no assoalho. Relação de marchas: 1ª) 3,45:1; 2ª) 1,94:1; 3ª) 1,29:1; 4ª) 0,91:1; ré) 3,17:1; relação de diferencial, 4,11:1.
Suspensão dianteira – Independente, McPherson, com braços inferiores triangulares, molas helicoidais, amortecedores hidráulicos telescópicos e barra estabilizadora.
Suspensão traseira – Eixo rígido oscilante, tubo de torção, braços longitudinais, estabilizador diagonal, molas helicoidais e amortecedores hidráulicos telescópicos.
Freios – De serviço: acionamento hidráulico, servo-assistido a vácuo, circuitos independentes em diagonak, disco nas rodas dianteiras e a tambor nas rodas traseiras; freio de estacionamento mecânico nas rodas traseiras.
Direção – Mecânica, de pinhão e cremalheira, com amortecedor hidráulico.
Rodas – Aro 13 e tala 6 polegadas, de liga leve
Pneus – Radiais importados Michelin 185/70 SR 13
Dimensões externas – Comprimento, 418,0 cm; largura, 160,0 cm; altura, 135,5 cm; distância entre eixos, 247,0 cm; bitola dianteira, 134,0 cm; bitola traseira, 134,6 cm; altura mínima do solo, 13,0 cm.
Capacidades – Tanque de combustível: 45 litros; cárter com filtro: 3,5 litros; câmbio e diferencial: 1,5 litros; radiador: 5,1 litros.

Deixe uma resposta