Home / Artigos / Artigos em geral / Denatran: a frota nacional de Passat e os erros de registro

Denatran: a frota nacional de Passat e os erros de registro

Uma das maiores dúvidas que pairam sobre os proprietários de Passat é a correta identificação da sua versão. O tema já foi abordado aqui no artigo “Como identificar a versão do meu Passat?”. Porém, este assunto é abrangente e alguns pontos merecem uma explicação à parte. Um destes pontos é o registro no campo Marca/Modelo do CRLV. Em geral, é neste campo que as dúvidas começam. Já é de conhecimento geral de quem pesquisa este assunto, que os registros realizados em documentos de carros antigos muitas vezes não são confiáveis.

Tivemos acesso a base de dados do RENAVAM, que está disponível para qualquer cidadão no site do Denatran. Assim, podemos demonstrar aqui, com dados concretos, porque as dúvidas sobre este assunto são tão comuns. O arquivo obtido do Denatran informa, em resumo, os dados da frota de veículos automotores no Brasil, separados por:

  • Marca/modelo
  • Ano de fabricação
  • Estado (UF)
  • Município
  • Quantidade de veículos

Ou seja, formulando um exemplo, podemos consultar quantos Passat TS fabricados em 1980 estão registrados na cidade de Curitiba. Reforçando que o ano registrado não contempla o modelo (os Passat TS 79/80 não estariam relacionados no total do nosso exemplo, mas os 80/81 sim). Utilizamos para este artigo os dados informados no arquivo de Julho de 2018, por se tratar do mais atual até a sua publicação.

Em primeiro lugar, vale ressaltar que os números aqui apresentados não significam que estes carros estejam em funcionamento ou mesmo que ainda existam. Não sabemos exatamente como os dados do Denatran são apresentados. Porém, a julgar pelo número total de Passat registrados (cerca de 450.000), é bem aceitável supor que estes números incluem veículos sucateados ou mesmo furtados/roubados e que ainda não tenham sido baixados da base do RENAVAM. Isso não invalida os dados que serão apresentados, até mesmo porque o objetivo é mostrar um panorama geral, com a maior parte das estatísticas sendo apresentada em números percentuais.

 

A frota nacional de Passat, segundo o Denatran

Antes de abranger os problemas, vamos mostrar um pouco como se apresenta a frota nacional de Passat. Começando pela sua distribuição de acordo com o ano de fabricação. Sem surpresas, o maior número de Passat registrados está nos anos de 1979 e 1980. Estes anos apresentam, respectivamente, 14,3% e 14,8% da frota total de Passat. Foi neste período que o Passat alcançou seus melhores índices de venda no mercado interno. Estes dados podem ser conferidos neste artigo publicado anteriormente.

Caso fosse feito um gráfico comparativo entre as vendas no mercado interno e os Passat ainda registrados na base do Denatran, o perfil das duas curvas seria semelhante, com os aumentos e as quedas ocorrendo nos mesmos períodos.

Distribuição dos Passat da frota nacional de acordo com o ano de fabricação. Fonte: Denatran.
Distribuição dos Passat da frota nacional de acordo com o ano de fabricação. Fonte: Denatran.

Foi possível também determinar a distribuição dos Passat pelos estados brasileiros. Cerca de 80% da frota de Passat registrada no país está concentrada em apenas 5 estados. O estado de São Paulo detém a maior frota de veículos automotores do Brasil, com cerca de 3 vezes mais veículos registrados do que o segundo colocado. E é também o estado campeão em número de Passat, com 38% dos registros. Analisando um pouco mais, apenas a capital paulista já apareceria bem no ranking, possuindo cerca de 11% da frota nacional.

O segundo estado com mais Passat registrados é o Rio Grande do Sul (11,7%). Bem de perto, aparece Minas Gerais (11,6%). A quarta colocação coube ao Paraná, com 10,6% dos Passat. Fechando os primeiros cinco colocados, aparece o Rio de Janeiro com 8,3%. O estado com o menor número de Passat registrados é o Amapá. O estado da região Norte conta com apenas 0,01% do total, segundo o Denatran.

Distribuição dos Passat registrados na base do Denatran pelos estados brasileiros.
Distribuição dos Passat registrados na base do Denatran pelos estados brasileiros.

 

Os erros mais comuns de registro

Chegou o momento, enfim, de abordarmos alguns problemas nestes registros. Quem frequenta fóruns ou grupos de redes sociais voltados ao Passat ou a carros antigos em geral já se acostumou a ver publicações de pessoas cujo documento do carro indica a versão errada. Muitas delas acreditam no que está escrito. Afinal, um documento oficial deveria estar sempre correto, não é mesmo? Mas infelizmente não é a regra. Até meados dos anos 80 os erros de cadastro eram bastante comuns.

Não que os erros tenham deixado de acontecer após esta época. Mas o maior controle de dados e, posteriormente, a informatização dos órgãos responsáveis, foram fatores que minimizaram as chances de erros nos dias atuais. O fato é que em alguns casos o proprietário que vai até as redes sociais apresentar o seu Passat termina por achar que tem uma versão raríssima, pré-série ou protótipo (ou seja lá até onde vai a imaginação de cada um). E na quase totalidade das vezes acaba não ficando satisfeito quando alguém explica que é apenas mais um caso comum de erro no cadastro no Denatran.

Os erros mais comuns que conhecemos são de anos de fabricação/modelo e versões. No caso específico deste artigo, a base do Denatran não nos permite encontrar a maioria dos erros no cadastro do ano de fabricação ou modelo. Esta informação só pode ser confirmada ao comparar o número do chassi do Passat com a tabela informada pela própria Volkswagen, que temos aqui na Home-Page do Passat.

Os únicos erros de ano de fabricação que foram possíveis encontrar na tabela do Denatran, sem levar em consideração a versão do Passat que consta no CRLV, estão nos extremos: Passat registrados como tendo sido produzidos antes de 1974 e após 1988. Como sabemos, dados da própria VW para a ANFAVEA mostram que não houve produção do Passat em 1989, como algumas pessoas acreditam. Novamente, lembramos que estes dados estão disponíveis neste artigo publicado anteriormente. 

Porém, em alguns casos onde o Passat foi faturado no ano seguinte ao fim de sua produção, ele acabou sendo erroneamente registrado como 89/89. Há poucos casos como este na base de dados utilizada neste artigo. Da mesma maneira, encontramos cadastros anteriores a 1974. Um número insignificante estatisticamente, de 3 unidades registradas como 1973 e outras 6 unidades de anos anteriores.

Não é impossível que os carros 1973 possam até ser de Passat alemães. Mas como não temos como confirmar isso apenas pelos dados coletados, e a nossa análise se refere aos veículos nacionais, estes poucos registros não foram considerados para os resultados finais.

 

Já no quesito “versões”, a quantidade de erros na base do Denatran impressiona. Existem Passat de praticamente todas as versões, registradas para todos ou quase todos os anos de fabricação. Em geral, os casos mais graves tem apenas um ou poucos registros. Porém, são estes que aparecem nas redes sociais com frequência, fazendo muita gente pensar em explicações mirabolantes para um simples cadastro errado.

E, como também já era esperado por observações prévias, algumas versões não estão cadastradas na base, como os Passat 4M, LS Série Especial, “Carro do Mês” e o “Nigéria”. Nestes casos, os carros eram registrados utilizando outras versões existentes ou mesmo apenas como VW/Passat, sem qualquer sigla.

Um Passat Flash produzido em 1975? Acredite, há erros como este na base do Denatran.
Um Passat Flash produzido em 1975? Acredite, há erros como este na base do Denatran.

Podemos citar, pra começar a falar de maneira mais branda nos erros, a simples falta de padrão na nomenclatura utilizada. O Passat GTS Pointer, por exemplo, é encontrado de diversas maneiras, além do nome original: Passat Pointer, Passat Pointer GTS, Passat GTS 1.8, Passat Pointer 1.8, Passat Pointer 1.6, entre outros. E mesmo quando se trata das versões 1.6, é possível achar cadastros em anos posteriores a 1984, quando o motor 1.8 passou a ser o único disponível para este modelo.

Passando para alguns casos mais graves, citamos o Passat Surf como o primeiro exemplo. A versão, lançada na linha 1978 e com as últimas unidades produzidas em 1981, possui registros de carros produzidos desde 1975 até 1986. O Passat TS, lançado como modelo 1976 e encerrado em 1982, é encontrado na base do Denatran em veículos produzidos entre 1974 e 1987.

E o que você diria ao saber que existem registros do Passat Flash, versão exclusiva de 1987, para todos os anos desde 1975? Há erros deste tipo em todas as versões, com anos que não correspondem a realidade, portanto não é necessário citar cada um deles. Os exemplos citados já são suficientes para demonstrar o que os mais interessados no assunto já haviam percebido: os erros de cadastro dos Passat na base do Denatran não são incomuns.

Exemplos de erros variados obtidos através de casos conhecidos no Sinesp.
Exemplos de erros variados na base do Denatran, obtidos através de casos conhecidos no Sinesp.

Há também o caso dos Passat GH e GHLS, que correspondem a cerca de 2% dos Passat registrados, e que comumente também encontramos em dúvidas em fóruns ou redes sociais. Estes casos são mais simples de resolver e muitos já conhecem a resposta: a sigla GH era nada mais que o código interno da fábrica para os modelos de 3 portas, que em alemão é traduzido como große hecktür. Esta sigla, que nem deveria aparecer na documentação, por vezes acabava sendo inserida.

 

VW/Passat

Por fim, temos o caso mais comum, dos carros registrados apenas como “VW/Passat”, sem a denominação da versão. E a base do Denatran nos mostra porque este casos aparecem todo o tempo. Estes registros correspondem a 32,7% do total de Passat no Brasil. Portanto, mesmo versões mais raras podem estar incluídas nestes registros. Apenas os veículos registrados como Passat LS (até 1983, último ano antes da denominação LS Village), com 33,3% do total, superam, por pouco, os Passat que não indicam a versão.

 

Conclusão

Os dados disponíveis na base do Denatran nos permitem ter uma boa compreensão de como eram tratados os registros de veículos em décadas passadas. Por consequência, ainda hoje este desleixo gera dúvidas em proprietários e colecionadores.  O alto índice de erros encontrados nestes registros, seja de cadastro do ano de produção ou da versão do veículo, indica que os dados do documento de um Passat nem sempre devem ser priorizados ao tentar identificar sua versão.

Esse tipo de equívoco na documentação é facilmente resolvida em montadoras como a GM e Ford, cuja plaqueta de identificação guarda informações mais detalhadas de cada carro, incluindo a sua versão. Infelizmente na Volkswagen, como já é conhecido, o número do chassi não traz informações detalhadas sobre o veículo, o que leva o proprietário interessado a necessidade de uma pesquisa mais profunda para descobrir a versão correta do seu carro.

11 comments

  1. Eleandro José fiori

    Boa tarde andre adquiri passat sendo como 4m série especial vw estou dúvida sobre ele no documento consta passat gh ls Fabri 1977 modelo 78 cor cinza como faço ter certeza que é mesmo um 4m

  2. Eu tenho um passat 86 4 portas! E marca special no documento.
    Aí já não sei se todos os 4 portas São LSE!

  3. Olá. Recentemente vendi meu 76/76 no documento mas com características do 75 no carro como as entradas de ar nas colunas C, quina superior do para-brisa nao arredondada e se nao me engano, falta da saída/entrada de ar na forração das portas. Acho que postei fotos dele qdo pus a venda na pagina do HP no face, um creme.
    E meu Pointer 86/87 consta apenas como Passat GTS.

    • o Meu 76 era um L, o Bege Alabastro igual a este, porem com interior em courvim. O chassi dele é BT056623, pela sua experiencia ele é 75 ou 76?

  4. A, esqueci de mencionar que em 1995 eu tive um Passat GLS no documento, era um cinza não metálico, com forração em veludo. Era um carro todo original precisando de uma pintura, polainas do parachoque e um capricho. Reformei por completo, coloquei rodas aro 15 e um kit turbo no 1.6 bielinha, depois um cambio do Gol GT. Era um avião e muito lindo.

  5. Boa tarde. Tive um Passat 86/87 Vermelho que constava no documento apenas: VW/Passat L, e pelo que vi aqui deveria ser um GL, e agora tenho um 86/87 Branco que consta no documento apenas: VW/Passat GL, Não tem o nome Village no documento, e tempos atrás tive um 84/84 Verde que no documento constava:VW/Passat LS Village, então agora entendo que são erros na escrita.

  6. Tive também um Pointer 86/86 Cinza que marcava VW/Passat Pointer GTS, e outro 88/89 Preto que o modelo era invertido: VW/Passat GTS Pointer. Vai entender. Abraços a todos.

  7. Boa noite. Adquiri recentemente um Passat SLE 1987 IRAQUE cor branca. Existe alguma informação de quantos desses veículos não foram enviados para o Iraque.? Obrigado

Deixe uma resposta