Home / Matérias de revistas / Quatro Rodas / Briga em família: Passat e Del Rey

Briga em família: Passat e Del Rey

Revista Quatro Rodas nº 319 – Fevereiro de 1987
Reportagem de Douglas Mendonça
Fotos de Milton Shirata

Passat e Del Rey

Depois do acordo entre a Volkswagen e a Ford, a briga entre esses dois velhos adversários – o Passat contra o Del Rey, que ficou no lugar do Corcel – transformou-se num confronto de irmãos. Compare conosco quem está na frente.

É uma briga antiga, que começou em 1974, quando a Volkswagen lançou o Passat para combater o Corcel, e que teoricamente chegava ao fim com a morte do Corcel II, no ano passado. Tudo indicava que o Passat, que já não vinha bem das pernas, também logo deixaria a arena, e de velha disputa não restariam mais que as recordações dos anos de glória. Só que não foi bem assim que as coisas ocorreram. A explosão do mercado, a partir do Plano Cruzado, encarregou-se de reverter a situação. Com a escassez geral de carros, o Passal acabou voltando com toda a força, e a Ford não deixou por menos: retornou a campo com um modelo despojado da linha Del Rey – um carro que, na verdade, nada mais é que uma versão três volumes, redesenhada, do veterano Corcel.

É fato que a velha rixa foi atenuada com a criação da Autolatina: o casamento entre a Ford e a Volkswagen de certa maneira transformou a disputa entre os dois carros, que concorrem na mesma faixa de preço, numa amigável convivência de irmãos, cada um em busca de seu público específico. Ficou claro, porém, que não se trata de irmãos de sangue, como Quatro Rodas comprovou neste comparativo entre um Passal GL Village e um Del Rey L: há marcadas diferenças entre os dois carros e, no cômputo geral, o representante da Volkswagen sai do teste com vantagem.

Passat e Del Rey
Vistos de frente, tanto o Del Rey como o Passat não mostram a idade que tem.

   

As diferenças começam no estilo. As linhas do Passat, criadas pelo renomado estilista italiano Giorgio Giugiaro e leve-mente modernizadas ao longo desses 13 anos, ainda se mantém atuais. Já o Del Rey é menos feliz, com a acentuada desproporção entre as duas imensas portas e as pequenas janelas traseiras.

Uma avaliação do interior dos dois carros mostra que o motorista se acomoda mais rapidamente no Passat – seu banco oferece uma vasta gama de regulagens no assento, além da regulagem milimétrica do encosto. No Del Rey, os motoristas mais altos terão dificuldades. Mesmo com o assento totalmente para trás, as pernas ficam entreabertas, em razão do posicionamento da pedaleira, alta e recuada. Essa característica do Del Rey chega a incomodar, principalmente em viagens, quando é necessário pisar pouco no acelerador e o apoio do pé é feito pelo calcanhar, que começa a doer levemente, exigindo mudanças constantes de posição.

O acesso ao banco traseiro é mais fácil no Del Rey.
O acesso ao banco traseiro é mais fácil no Del Rey.

 

Atrás, conforto só para duas pessoas

O espaço para os passageiros que vão no banco traseiro é parecido nos dois carros, onde se acomodam razoavelmente duas pessoas – uma terceira, apenas se for pequena. No Del Rey, há um inconveniente perigoso: o sistema de fixação do cinto de segurança. através de uma barra longitudinal, facilmente pode provocar a queda de pessoas menos atentas saindo do banco traseiro.

No Passat, as portas menores não chegam a atrapalhar.
No Passat, as portas menores não chegam a atrapalhar.

  

O painel do Passat oferece mais informações, mas sua leitura é confusa, com o marcador de combustível colocado no mostrador do relógio de horas. No Del Rey, apesar de sua simplicidade, o sistema é claro, não causa confusão na leitura. Aqui. as críticas ficam por conta da ausência de luz indicadora do afogador puxado e da iluminação do painel, com uma mistura de luzes azuis e vermelhas que cansam a vista – o que não ocorre no Passat. Os comandos das luzes são alcançados com mais facilidade no Del Rey, pois não existem obstáculos no caminho das mãos. No Passal. a chave das luzes está posicionada atrás do enorme volante de direção, o que obriga a manobras toda vez que se quer acender os faróis. Em contrapartida. o motorista do Del Rey fará uma ginástica muito maior tentando destravar a porta do lado direito, uma vez que o pino está localizado atrás do encosto do banco direito.

Passat e Del Rey - Painel
Os instrumentos do Del Rey são mais bem colocados do que no Passat.

  

O acesso ou saída dos dois carros pode ser considerado bom, mesmo para os passageiros que utilizam o banco traseiro. No Del Rey, graças às enormes portas, o acesso ao banco traseiro é mais facilitado ainda. Em contrapartida, as portas são pesadas, o que dificulta seu manuseio. Apesar de possuírem a mesma disposição mecânica, motor longitudinal e tração dianteira e suspensão independente na frente e eixo rígido na traseira, os dois modelos possuem personalidade própria. O Passat, desde seu lançamento, destaca-se por seu desempenho mais esportivo, enquanto o Del Rey prima pelo conforto e pelo silêncio, sem grandes preocupações quanto ao desempenho. Hoje essa distinção ainda é mantida.

   

CHT, motor para direção tranquila

O Del Rey é equipado com o tranquilo e confiável motor CHT, derivado diretamente do antigo motor que equipava o Corcel, mas com modificações de cabeçote. bloco e todos os órgãos móveis internos. É um motor que não prima pela potência, mas de boa elasticidade, que permite que se trafegue tranquilamente com uma quarta marcha engatada em baixas velocidades, sem trancos nem engasgadas. Graças a essas características, consegue normalmente bons índices de consumo na cidade.

O motor utilizado pelo Passat pertence à última geração de motores lançada na Europa pela Volkswagen/Audi, incorporando tudo o que há de mais moderno em termos de tecnologia de produção em larga escala de motores. Bem mais potente que o do Del Rey – tem cerca de 15 cv a mais -, esse motor consegue ser “manso” nos baixos regimes de rotação e “valente” quando se acelera fundo, sempre com um baixo consumo de combustível. Assim, quem deseja um carro rápido e ágil, não deve ter dúvidas em escolher o Passat. Em todos os itens de nossa avaliação, ele obteve uma esmagadora vantagem sobre o Del Rey. Até mesmo o consumo de combustível feito na estrada, agora mantendo-se os 100 km/h, a vantagem foi do Passat.

Nesse campo, a única vantagem do Del Rey sobre o Passat foi no consumo em cidade. Nesta avaliação, o Del Rey consumiu apenas 1,2% a menos, o que não pode ser considerado um resultado expressivo. No restante de todas as outras medições – aceleração, retomada de velocidade, velocidade máxima e teste de rolamento -, o Passat conseguiu uma vitória indiscutível. Finalmente, na medição do nível de ruído, houve praticamente um empate: ambos são bem silenciosos.

   

Del Rey, mais caro

Tanto na tabela de preços quanto com os opcionais que equipavam os modelos testados, o Passat GL Village é mais barato que o Del Rey L. O Passat GL custa, com câmbio de cinco marchas, Cz$ 150.922,74. O modelo testado estava equipado com  um pacote de opcionais que incluía, entre outros,  rádio AM/FM estéreo, espelhos retrovisores externos com controle remoto interno e rodas de liga leve, que elevaram o preço final a Cz$ 160.693,93. Devem ser acrescidos ainda Cz$ 48.208,18 – os 30% do compulsório.

O modelo básico do Del Rey L custa Cz$ 151,251,00. O carro testado tinha a mais: pára-brisa laminado degradê e vidros verdes (Cz$ 4.905,00), pintura metálica (Cz$ 2.553,00), rádio AM/FM estéreo (Cz$ 4.543,00) e rodas de alumínio (Cz$ 6.155,00). Com isso, o preço total passou para Cz$ 169.407,00, a que devem ser acrescentados Cz$ 50.822,10 de compulsório. O Passat do teste custa Cz$ 8.713,07 mais barato que o Del Rey. Se for considerado o compulsório, a diferença sobe para Cz$ 11.326,99.

A garantia oferecida pelas duas fábricas é de um ano, sem limite de quilometragem. A Volkswagen garante ainda dois anos para os componentes em contato com o álcool. A Ford, em contrapartida, oferece três anos de garantia contra a corrosão.

   

Resultados
Item Avaliação Del Rey Passat
Desempenho Vantagem clara e indiscutível para o Passat. Foi bem mais rápido nas acelerações, retomadas e velocidade máxima. 5 7
Consumo Na estrada, a 100 km/h, o Passat foi mais econômico, tanto carregado quanto vazio. O Del Rey leva ligeira vantagem na cidade. 4 5
Motor Apesar de ambos apresentarem um mesmo grau de desenvolvimento, o motor do Passat é de concepção mais moderna. 5 7
Câmbio Ambos de cinco marchas com diferencial acoplado. No Del Rey, os engates não são tão rápidos e precisos quanto no Passat. 6 7
Freios Muito bom nos dois carros, exigindo pouco esforço no pedal. A ligeira vantagem do Passat está na resposta inicial imediata. 6 7
Direção Mais rápida e leve no Passat. No Del Rey, respostas mais lentas e, nas manobras, direção mais pesada. 5 6
Estabilidade Muito melhor no Passat, tanto em curvas quanto em retas. No Del Rey, ligeira instabilidade em alta velocidade. 6 8
Estilo No Del Rey, o típico estilo de um quatro portas, infeliz com duas portas. O Passat, embora tamém antigo, tem mais harmonia. 5 6
Conforto No Del Rey, a restrição está no peso das enormes portas e no cinto, perigoso para um tropeço de quem desce do banco traseiro. No Passat, o indispensável, sem luxo. 6 7
Posição de dirigir Cômoda e agradável no Passat. No Del Rey, posicionamento da pedaleira é ruim, muito perto do banco. 5 6
Instrumentos O painel do Passat é mais completo, mas a leitura é mais fácil no Del Rey – que, mesmo assim, é mal iluminado. 5 6
Visibilidade Um dos poucos pontos de equilíbrio. Ambos tem boa visibilidade para a frente e para os lados e regular para trás. 6 6
Nível de ruído Houve praticamente um empate. O ruído médio dos dois foi quase o mesmo, considerado baixo. 6 6
Porta-malas Apesar do seu menor volume, o do Del Rey (328 litros) tem a vantagem da colocação lateral do estepe. O do Passat é maior (362 litros), mas o estepe está sob o assoalho. 6 6

   

Velocidade máxima na pista (km/h reais)
  Del Rey Passat
Média de 4 passagens 142,2 159,4
Melhor passagem 142,8 160,8

 

Aceleração (tempo em segundos)
Variação de velocidade Del Rey Passat Marchas usadas
0 – 40 km/h 3,11 2,86
0 – 60 km/h 5,89 5,18 1ª/2ª
0 – 80 km/h 10,13 8,25 1ª/2ª/3ª
0 – 100 km/h 15,64 12,45 1ª/2ª/3ª
0 – 120 km/h 25,95 18,35 1ª/2ª/3ª/4ª
0 – 140 km/h 29,31 1ª/2ª/3ª/4ª
0 – 400 m 19,65 18,38
0 – 1000 m 37,16 34,38

 

Retomada de velocidade (tempo em segundos)
Variação de velocidade Del Rey Passat Marcha usada
40 – 60 km/h 11,94 8,18
40 – 80 km/h 23,23 16,07
40 – 100 km/h 35,70 24,62
40 – 120 km/h 50,13 34,90
40 – 1000 m 45,76 40,73

 

Nível de ruído em dB (A)
Velocidade real (km/h) Marcha usada Del Rey Passat
0 Ponto morto 50,8 44,6
20 62,6 62,4
40 66,3 64,8
60 67,5 67,8
60 66,9 66,8
80 69,4 70,2
80 69,2 69,4
100 72,5 72,0
120 75,4 74,0

 

Consumo a velocidade constante (km/l)
Velocidade real (km/h) Del Rey Passat Marcha usada
40 13,45 14,38
60 12,94 13,42
80 11,36 12,29
100 9,64 9,90
120 8,00 7,87
40 11,46 11,78
Consumo médio (km/l)
  Del Rey Passat
Na cidade 6,52 6,44
Na estrada, a 100km/h, carregado 9,75 9,75
Na estrada, a 100km/h, vazio 10,04 10,66

 

Espaço de frenagem (metros)
Velocidade (km/h) Del Rey Passat
40 8,85 8,90
60 18,70 18,20
80 32,10 32,40
100 52,30 49,80
120 72,40 70,00
Freio de estacionamento
60 44,90 45,00
 

Ficha técnica – Del Rey L
Motor – Dianteiro, longitudinal, de quatro cilindros em linha, refrigerado a água. Comando de válvulas lateral, válvulas de admissão e escape no cabeçote. Alimentação por um carburador de corpo duplo; a álcool.
Diâmetro e curso – 76,9 x 83,5 mm
Cilindrada total – 1.555 cm³
Taxa de compressão – 12:1
Potência máxima – 74,6 cv (54,9 kW) ABNT a 4.800 rpm
Torque máximo – 12,5 mkgf (122,2 Nm) ABNT a 2.400 rpm
Relações de marcha – 1ª) 3,62:1; 2ª) 2,05:1; 3ª) 1,33:1; 4ª) 0,97:1; 5ª) 0,81:1; ré) 3,08:1; diferencial, 3,08:1. Tração dianteira.
Carroceria – Sedã, duas portas, cinco lugares; estrutura monobloco.
Suspensão dianteira – Independente, braços inferiores triangulares, braços simples superiores, braços tensores diagonais, molas helicoidais, amortecedores hidráulicos telescópicos e barra estabilizadora.
Suspensão traseira – Eixo rígido, braços tensores longitudinais, um braço triangular superior e dois inferiores, molas helicoidais, amortecedores hidráulicos telescópicos e barra estabilizadora.
Freios – Disco ventilado nas rodas dianteiras e tambor nas traseiras, com servo.
Direção – Mecânica, de pinhão e cremalheira; diâmetro do volante: 38 cm
Diâmetros de giro – 11,15m para a esquerda e 11,60m para a direita.
Dimensões externas – Comprimento, 449,8 cm; largura, 167,6 cm; altura, 135 cm; distância entre eixos, 243,8 cm; bitola dianteira, 136,7 cm; bitola traseira, 133,3 cm; altura mínima do solo, 13,0 cm.
Rodas – Aro 13 pol. x tala 5 polegadas, de liga leve
Pneus – 185/70 SR 13
Capacidade do tanque – 57 litros
Capacidade do porta-malas – 328 litros
Capacidade total de carga – 450 kg
Peso do carro testado – 974 kg
Fabricante – Ford do Brasil S.A., rua Prof. Manuelito de Ornellas, 303. CEP 04799, São Paulo, SP. Telex: (011) 38365.

 

Ficha técnica – Passat GL Village
Motor – Dianteiro, longitudinal, de quatro cilindros em linha, refrigerado a água. Comando de válvulas e válvulas de admissão e escape no cabeçote. Alimentação por um carburador de corpo duplo e fluxo descendente; a álcool.
Diâmetro e curso – 81,0 x 77,4 mm
Cilindrada total – 1.596 cm³
Taxa de compressão – 12:1
Potência máxima – 90 cv (66 kW) ABNT a 5.600 rpm
Torque máximo – 13,05 mkgf (128 Nm) ABNT a 2.600 rpm
Relações de marcha – 1ª) 3,45:1; 2ª) 1,94:1; 3ª) 1,29:1; 4ª) 0,91:1; 5ª) 0,73:1; ré) 3,71:1; diferencial, 4,11:1. Tração dianteira.
Carroceria – Sedã, duas portas, cinco lugares; estrutura monobloco.
Suspensão dianteira – Independente, McPherson, com braços inferiores triangulares, molas helicoidais, amortecedores hidráulicos telescópicos e barra estabilizadora.
Suspensão traseira – Eixo rígido em “U”, com braços tensores longitudinais, barra diagonal Panhard, molas helicoidais e amortecedores hidráulicos telescópicos.
Freios – Disco nas rodas dianteiras e tambor nas traseiras, com servo.
Direção – Mecânica, de pinhão e cremalheira; diâmetro do volante: 39,5 cm
Diâmetros de giro – 10,20m tanto para a direita como para a esquerda.
Dimensões externas – Comprimento, 426,2 cm; largura, 160,0 cm; altura, 135,5 cm; distância entre eixos, 247,0 cm; bitola dianteira, 134,0 cm; bitola traseira, 134,3 cm; altura mínima do solo, 14,0 cm.
Rodas – Aro 13 pol. x tala 5 polegadas, de liga leve
Pneus – 175/70 SR 13
Capacidade do tanque – 60 litros
Capacidade do porta-malas – 362 litros
Capacidade total de carga – 450 kg
Peso do carro testado – 950 kg
Fabricante – Volkswagen do Brasil S.A., via Anchieta, km 23,5, CEP 09700, São Bernardo do Campo, SP. Telex: (011) 445193.

Deixe uma resposta