Home / Passat do Leitor / Passat GTS Pointer 1986: Fernando Beria

Passat GTS Pointer 1986: Fernando Beria

Passat GTS Pointer 1986 - Fernando Beria

Estreamos com este artigo a seção Passat do Leitor, projeto antigo da Home-Page do Passat que enfim colocamos em prática, após alguns ensaios que fizemos em nosso blog e que serviram para aprimorar as idéias (e que provavelmente se tornarão também parte desta seção, futuramente). E o Passat escolhido para ilustrar este primeiro artigo não poderia ser melhor: um belíssimo Passat GTS Pointer 1986, que pertence ao Fernando Beria, da cidade de Farroupilha, no Rio Grande do Sul. Ele também é sócio do Veteran Car Clube de Vinhedos e membro do Quadrados Perfeitos, grupo que vem crescendo bastante nos últimos meses, sempre com participantes selecionados e dedicados.

Fernando conta que sua paixão pelo Passat começou ainda na infância: “Minha história com o Passat começou em 1986, quando meu pai comprou um Village branco 0km. Eu tinha apenas 4 anos, mas achava o máximo. Meu pai costumava ir até o Paraguai e sempre me levava junto. Nunca esqueço das aceleradas na estrada, quando eu ficava agarrado nos bancos da frente e gritando pro meu pai acelerar ainda mais!”

No alto: Passat LS Village 86 comprado 0km pelo pai do Fernando, e GTS Pointer 1987 que pertenceu ao seu irmão. Abaixo, os Passat que foram do Fernando: LS 1976 e GTS Pointer 1987.

 

Infelizmente, em uma noite de muita neblina em 1987, um acidente deu perda total no Village. Ao passar pelos trilhos da ferrovia da cidade, não foi possível ver o trem, que acabou destruindo o Passat. Felizmente nada aconteceu ao pai e ao irmão mais velho do Fernando, que estavam no carro. No mesmo ano o pai do Fernando comprou outro Passat, um LSE Iraque, que ficou na família por cerca de 2 anos. Em meados de 1996, outro Passat Iraque foi comprado pelo seu pai e ficou também por cerca de 2 anos. Em 1992 o irmão dele já havia comprado mais um Passat: um GTS Pointer 1987, mostrando que o modelo de fato faz parte da história da família.

Ainda adolescente, o Passat começou a entrar de maneira mais significativa na vida do Fernando. Com apenas 15 anos, ele comprou seu primeiro Passat: um LS 1976. O carro possuía motor 1.8 à álcool, coletor 4×1 e outras coisas que fariam qualquer garoto dessa idade ir a loucura. Após algumas aventuras, o carro foi pego pela polícia e ele acabou tendo que pagar quase metade do valor do Passat em multas. Em 1999, outro Passat na garagem! Desta vez um GTS Pointer 1987, que foi dele até 2002. Após este Pointer, outros carros passaram pela garagem do Fernando, mas a paixão pelo Passat nunca foi esquecida.

Passat GTS Pointer 1986 placa preta
Fernando, no dia da troca de placas do GTS Pointer.

 

“Em 2014, vendo a inflação dos esportivos das décadas de 80 e 90, pensei: compro um agora ou não compro nunca mais! Comecei a pesquisar em sites como OLX e Mercado Livre, até que um dia apareceu o anúncio de um Passat GTS Pointer 1986 prata, em Curitiba. Fui conversando com o proprietário até chegarmos a um valor aceitável para ambos os lados. Em uma sexta-feira a noite, eu e meu amigo Jeison Paim pegamos um ônibus em direção a Curitiba. Ao chegarmos, constatamos que o carro era mesmo muito íntegro e faltava apenas alguns detalhes para deixá-lo 100%. Coisa de purista! A idéia era mantê-lo digno de placa preta, mesmo que ainda faltasse dois anos para isso.”

O histórico do Pointer é conhecido, sendo que o Fernando é o terceiro proprietário. O carro foi vendido 0km para uma mulher na concessionária Auto Cecília, de Curitiba. Em 1990 foi adquirido pelo segundo proprietário. Ele contou que aproveitou muito o Passat quando era mais novo, e na época em que o carro valia pouco ele não quis vender e acabou deixando o Pointer guardado em sua garagem, tendo pouco uso desde então. Até que, uma história que pode ser comum pra alguns leitores, sua esposa pediu que ele vendesse o carro, pois segundo ela, só estaria atrapalhando na garagem. Azar de uns, sorte de outros. E assim o Fernando se tornou o proprietário de um belíssimo Passat GTS Pointer!

A incrível dupla de VW do final dos anos 80 repousa na garagem.

 

O passo seguinte foi se filiar ao Veteran Car Club dos Vinhedos, de Bento Gonçalves, clube filiado à Federação Brasileira de Veículos Antigos. Conta o Fernando: “Foram muito receptivos e me trataram como se eu fosse sócio há anos.”

Ao completar 30 anos, foi solicitada ao clube a vistoria para obtenção do Certificado de Originalidade, que dá o direito do carro receber as cobiçadas placas pretas de colecionador, sendo a cereja do bolo de quem gosta de seus carros extremamente originais. A vistoria foi realizada no dia 16 de janeiro de 2016, não apenas a do Passat mas também a do impecável Santana CL que também pertence ao Fernando e formam uma fantástica dupla de VW na garagem.

2 comments

  1. Esse paixão vem de berço, começou Com meu pai passou por mim e em seguida meu irmão.
    Passat corte nas veias de nossa família

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *