Home / Artigos / Ayrton Senna testou o Passat

Ayrton Senna testou o Passat

O teste de carros nacionais por pilotos profissionais na revista Quatro Rodas já não era novidade naquela época. O primeiro foi Jackie Stweart, em 1970. Depois foi a vez de Emerson Fittipaldi, em 1975, e Jody Scheckter, em 1978. Em 1984, o piloto Ayrton Senna testou 12 carros para a revista Quatro Rodas. Então estreante na F-1, com 24 anos de idade, Senna já trilhava um caminho de vitórias e títulos. Com dois vice-campeonatos mundiais de kart e os títulos das F-Ford inglesa, F-2000 e F-3, Ayrton Senna chegava na F-1 naquele ano pela pequena Toleman Hart. Apesar da modesta equipe, beliscou alguns pontos e três lugares no pódium, incluindo o 2º lugar no até hoje comentado Grande Prêmio de Mônaco.

 

Os 12 carros testados por Ayrton Senna. Créditos: Quatro Rodas
Os 12 carros testados por Ayrton Senna. Créditos: Quatro Rodas

  

Senna teve a disposição modelos bem diferentes entre si, do pequeno Gol até o Alfa 2300 TI. Foram testados 14 quesitos e as notas foram dadas exclusivamente conforme a avaliação pessoal do piloto. Até mesmo por isso, o consumo não foi avaliado. “Vocês da revista já tem um padrão estabelecido, pois já testaram esses modelos mais de uma vez, usando métodos científicos. Eu, ao contrário, estou vendo alguns desses carros pela primeira vez. Por isso tentarei ser o mais comum dos motoristas, para não cometer injustiças ou favorecimentos.”, disse o piloto.

Entre os modelos escolhidos pela revista, não poderia ter faltado o Passat, que foi o primeiro a entrar na pista. Ayrton Senna testou um modelo LS de câmbio longo.

Ayrton Senna pilotando o Passat LS Village na pista. Créditos: Quatro Rodas
Ayrton Senna pilotando o Passat LS Village na pista. Créditos: Quatro Rodas

  

Senna apreciou o baixo ruído interno do Passat e também o seu estilo. Logo percebeu o câmbio longo, que o agradou bastante em relação a Parati, equipada com o mesmo motor. Fez elogios ao aproveitamento do motor e ao baixo nível de ruídos. No quesito freios, foi o melhor VW que ele testou, apesar da necessidade de um esforço demasiado no pedal. Também foram elogiados a suspensão “macia, endurecendo depois para dar confiança ao motorista”, o acabamento e o espaço para os passageiros no banco traseiro. O banco do motorista com altura regulável, uma novidade da linha 84, também foi elogiado. O único ítem criticado por Ayrton foi o painel, bonito mas com poucos instrumentos.

Foi um dos carros que receberam as notas mais altas no teste. Confira abaixo:

Item Nota
Desempenho 8
Motor 7
Transmissão e câmbio 8
Freios 8
Direção 8
Estabilidade 8
Suspensão 8
Estilo 9
Acabamento 9
Conforto 8
Nível de ruídos 8
Posição de dirigir 8
Instrumentos 6
Porta-malas 7

Entre os carros testados, a menor nota foi 5, para freio e nível de ruídos do Gol e o desempenho dos Fiat Oggi e Panorama. A única nota 10 do teste foi para o porta-malas da Caravan. O Escort e o Monza foram os carros que mais impressionaram o piloto, apesar deste último não ter ficado entre os 3 carros com pontuação mais alta.

Analisando em separado cada item testado, no quesito desempenho, Passat, Escort e Alfa Romeo Ti4 empataram com nota 8. O Escort foi o campeão do item motor, também com nota 8. Os GM ganharam a melhor nota em câmbio, com Chevette e Caravan recebendo 9.  O Escort também recebeu a melhor pontuação para os freios, com nota 9. Mesma nota dada em direção para Alfa Romeo e Caravan, os campeões deste quesito. O Passat aparece novamente empatado com o Escort com nota 8 em suspensão. No quesito estilo, empate com nota 9 para Passat, Monza e Escort. No quesito acabamento, nota 9 para Passat, Parati, Monza, Del Rey e Escort. Surpresa negativa para o Alfa Romeo, carro mais caro da época, que ganhou 8 pontos. Já em conforto, empate entre Alfa Romeo, Monza, Escort e Del Rey com nota 9. Em nível de ruídos, o Monza levou sozinho a melhor nota, com 9 pontos. Já Parati, Escort e Alfa Romeo conquistaram nota 9 em posição de dirigir. Nota 9 sem surpresas em instrumentos para os painéis completíssimos do Del Rey Ouro e Alfa Romeo Ti4. Por fim, a melhor nota em porta-malas, como já citado acima, foi para a Caravan com a única nota 10 de todo o teste.

Assim, o carro que mais agradou o piloto pela soma de pontos foi o Escort, um dos projetos mais recentes entre os testados. Em seguida, empate entre o Passat LS Village e Alfa Romeo Ti4, completando o pódio. Honroso para ambos os carros, que em 1984 já tinham bastante tempo de estrada e ainda assim ficaram na frente de projetos mais modernos como Monza e Parati.

É claro que as versões testadas acabaram influenciando a pontuação final (um Del Rey básico, por exemplo, não teria recebido a mesma nota para painel do que a sua versão Ouro, ou a Caravan poderia ter recebido melhor nota em desempenho se a versão testada fosse equipada com motor 4.1). Assim como a própria categoria em que o carro se encontra também influenciou a nota final. Afinal, não se pode esperar que um Gol tenha a mesma nota de porta-malas que modelos como Belina e Caravan.

Mas no final do teste, as impressões do então futuro tricampeão da F-1 sobre cada carro tem grande valor histórico e poderiam ser comparáveis entre carros da mesma categoria. Confira abaixo a soma da pontuação de cada carro avaliado:

 

Carro Pontuação total
Escort GL 118
Passat LS Village 110
Alfa Romeo Ti4 110
Monza SL/E 109
Parati GLS 106
Caravan 106
Del Rey Ouro 105
Belina GL 99
Chevette SL 97
Panorama CL 92
Gol LS 89
Oggi CL 89

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *